Pular para o conteúdo principal

lápis, papel e outras coisas


em tempos de virtualidade comunicacional, o espaço dos lápis, canetas, papel abdicada de texturas, dos cheiros, numa plácida rendição

resgatar a pasta rosa de elásticos rotos e recheio denso, pleno de cartas
bilhetes
escritos
tantos
múltiplos em cores
em formas
caligrafias e emoções
díspares

ao acaso sacar da pasta
um dos papéis amarelados
aquele dobrado em oito

“Cruz. 05 de novembro (...) Manhã de Sol. Lá em Salvador tá acontecendo PASOLINI EM CIRCUITO CULTURAL. Não posso ir. Eu reli “Os bons cães”. Acho interessante. Lembrei-me de Percula. Não é que eu esteja “desanimado e desesperançado” com a cultura cruzalmense. (...) Uma “cigana” leu a minha mão. (...) Quanto ao Baudelaire você pode ir elaborando o texto. Tentarei escrever alguma coisa. As H.Q. Bem, se não for muito caro, pode mandar os Moebius. (...) Também acho que as minorias podem transformar o mundo. (...) Já li Borges. Demais. Você recebeu o livro O BANHEIRO? Por incrível que pareça ainda falta terminar os seus: Zona Erógena, A Casa Verde e Malone Morre. A Anarquia da Fantasia do Fassbinder já li várias vezes: adoro o alemão boêmio. A informação daquele outro livro do C.F. Abreu é só esta: “Coleção Autores Gaúchos. I. Estadual do Livro. Vol. 19”
Até a próxima.”

acaba sem dizer mais nada nem assinou

Escrito ao som de Yoshimi battles the pink robots, com Flaming Lips
http://www.lastfm.com.br/music/The+Flaming+Lips/_/Yoshimi+Battles+The+Pink+Robots+Pt.+1

Comentários

anjobaldio disse…
Buenas, muito bom isto aqui. Senti saudades dos tempos do Cabaret.Grande abraço.
Zinaldo Velame disse…
Oi Graça, beleza! Mais um canto pra gente colocar nossas idéias. Abraço.
Valquiria disse…
Seu blog esta ficando muito legal, de verdade estou adorando. Vá em frente.
Aproveito para desejar um Natal muito feliz e iluminado e um 2009 bem porreta - saude, dinheiro, amor e muita, muita inspiração. Neste desejo estou incluindo Riso, Maira, Bartira e a linda neta.

Bjs
Valquiria

Postagens mais visitadas deste blog

Pise devagar, você está pisando nos meus sonhos.

Ao ouvir esses versos, lidos por um personagem de um filme já começado, apurei o olhar e ouvidos para a tv. O personagem segurava um livro cuja capa estampava o nome Yeats em letras bem grandes.
Pensei com meus botões: esse filme deve ser bom!
Não era tão bom assim, apesar das referências a vários clássicos da literatura. Perdeu-se nos clichês e nas cenas de ação exageradas. Mas valeu a pena por me levar a reler o poeta!


OS TECIDOS DO CÉU Se eu tivesse os tecidos bordados dos céus,
ornados de ouro e prata em luz,
panos azuis foscos breus
da noite, luz, e da meia-luz,
estenderia os tecidos sob teus pés.
Mas, pobre, tenho apenas sonhos;
são eles que estendo sob teus pés.
Pise devagar, você está pisando nos meus sonhos. (William Butler Yeats) (trad. inédita de Bruno D’Abruzzo) AEDH WISHES FOR THE CLOTHS OF HEAVEN Had I the heavens’ embroidered cloths,
Enwrought with golden and silver light,
The blue and the dim and the dark cloths
Of night and light and the half light,
I would spread the cloths under …