Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2009

18 de março, 138 anos da Comuna de Paris

18 de março, 138 anos da Comuna de Paris - governo popular organizado pelas massas parisienses que teve a curta vida de 72 dias, quando foi sufocada ferozmente pelas tropas militares comandadas por Adolphe Thiers.
O saldo dessa truculência? 20 mil mortos em uma única semana – a Semana Sangrenta.
Era o fim da comuna mas sua memória vivifica nos corações da classe trabalhadora como referência para uma outra sociedade possível.

Em maio de 1871, Marx escreveu: "Os trabalhadores de Paris, com sua comuna serão sempre considerados como gloriosos precursores de uma nova sociedade. A memória de seus mártires será cuidadosamente conservada no grande coração da classe trabalhadora. Ahistória já prendeu seus exterminadores nesse eterno pelourinho, de onde não conseguirão arrancá-los todas as orações de seus sacerdotes".

Como governo da classe operária, a Comuna de Paris, exercia seu poder em benefício do povo. Mostrou grande cuidado pelo melhoramento da situação material das grandes massa…

gatos, silêncios e uma carta-cobra

Emílio, o gato-planta filho de Fifi.
Depois de muito tempo (o que é muito tempo?) retorno ao nosso convívio.Carnaval, gripes ... e O gato por dentro, de William Burroughs. Eu não sabia da relação de Bill com os felinos. Vou voltar a falar sobre este livro depois, quando terminar de ler. Agora destaco apenas uma passagem em que ele fala do ritual de iniciação dos oficiais da SS nazista que tinham de arrancar os olhos de um gato depois de alimentá-lo e acariciá-lo por um mês. A eliminação de qualquer indício de piedade. Perante ato tão brutal ele diz: “Qualquer barganha que envolva a troca de valores qualitativos como amor por bichos pela vantagem quantitativa não é apenas desonrosa. O homem não pode estar mais errado. Isto também é tolo. Por que você nada ganha. Vendeu o seu você."
O meu você, após um silêncio de semanas, e mais alguns gatos na barriga de Fifi, revirou a gaveta e, ao reabrir a pasta rosa, de cara, foi abocanhado pela carta-cobra.
Desdobrou-a com cuidado e logo se de…