terça-feira, 27 de julho de 2010

CASA DA CULTURA GALENO D'AVELÍRIO: Aniversário da Casa da Cultura

CASA DA CULTURA GALENO D'AVELÍRIO: Aniversário da Casa da Cultura:
"Menina, minha menina,
carocinho de araçá,
cante
estude
reze
case
faça esporte e até discurso,
faça tudo o que quiser
Menina!
não esqueça que é mulher."


Jacinta Passos
In: Canção da Partida (1942-1944)

quinta-feira, 22 de julho de 2010

A poesia de Jacinta Passos

Jacinta Passos: coração militante, livro que será lançado no dia 27 de julho na Casa da Cultura Galeno d'Avelírio, em Cruz das Almas e organizado pela historiadora Janaina Amado.
Eu sou planta sem raiz
que o vento arrancou do chão,
já não quero o que já quis,
livre, livre o coração,
vou partir para outras terras,
nada mais eu quero ter,
só o gosto de viver.

Nada eu tenho neste mundo,
sozinha!
Eu só tenho a vida minha.

Jacinta Passos
Trecho do poema Canção da Liberdade
In: Canção da Partida, 1942-1944

terça-feira, 13 de julho de 2010

rock poesia

Recolhi-me ao silêncio por esses dias. Deliberadamente. Não queria falar de perdas e despedidas, nem da poesia calada que não mais solicitará: "Diga uma coisa bonita!"
O que o poeta esperava ouvir como resposta a essa pergunta?
A beleza tem tantas faces. Beleza triste, beleza calma, beleza estrepitante.
A beleza vigorosa da poesia que clama, que denuncia.
A forte e bela poesia de Patti Smith nesse dia mundial do rock.



There's no one
in the village
not a human
nor a stone
there's no one
in the village
children are gone
and a mother rocks
herself to sleep
let it come down
let her weep

the dead lay in strange shapes

Qana, de Patti Smith