Pular para o conteúdo principal

Minha alma cheira a curry


A pauta não era essa. A poesia dormida (ou amanhecida feito um pão murcho do dia anterior) tomou o lugar do frescor do café recém coado, do fato acontecido agora.
Duas semanas intensas em emoções e visões a serem compartilhadas ficaram aprisionadas nas imagens, poucas imagens...mas o cheiro deixou sua marca na memória tão fortemente que, em resposta à perguntada sobre como teria sido, se seria uma versão de Zé à milanesa,
respondi: Graça ao curry.

Falar em curry estando em Londres, logo se pensa em East End, Bengladesh londrina. Além do cheiro de curry esse lado da cidade também cheira a arte. Que tal a Whitechapel Art Gallery? Vejam imagens da exhibition de Isa Genzken: Open, Sesame! que tive oportunidade de visitar. http://www.whitechapelgallery.org/exhibitions/isa-genzken-open-sesame-


Fundada em 1901, a Whitechapel Art Gallery é aclamada internacionalmente por suas exposições de artes moderna e contemporânea e por seu pioneirismo em programas de educação e eventos abertos ao público. Fizeram premieres nessa galeria artistas internacionais como Pablo Picasso, Frida Kahlo, Jackson Pollock, Mark Rothko e Nan Goldin. Lá também expuseram artistas os mais significativos da Grã-Bretanha, de Gilbert& George a Lucian Freud, Peter Doig a Mark Wallinger.

Ao lado dessa incrível galeria, existe um beco onde está localizado um centro de estudos anarquistas. Estava fechado quando passei. Por isso apenas fotografei o painel que fica no início do beco, no qual estão retratados grandes pensadores do anarquismo: Emma Goldman, Proudhon, Malatesta, Tolstoi e tantos outros.

Acho que vou voltar às origens... Viva Bakunin!

Comentários

anjobaldio disse…
Gostaria de ver mesmo.

Postagens mais visitadas deste blog

Pise devagar, você está pisando nos meus sonhos.

Ao ouvir esses versos, lidos por um personagem de um filme já começado, apurei o olhar e ouvidos para a tv. O personagem segurava um livro cuja capa estampava o nome Yeats em letras bem grandes.
Pensei com meus botões: esse filme deve ser bom!
Não era tão bom assim, apesar das referências a vários clássicos da literatura. Perdeu-se nos clichês e nas cenas de ação exageradas. Mas valeu a pena por me levar a reler o poeta!


OS TECIDOS DO CÉU Se eu tivesse os tecidos bordados dos céus,
ornados de ouro e prata em luz,
panos azuis foscos breus
da noite, luz, e da meia-luz,
estenderia os tecidos sob teus pés.
Mas, pobre, tenho apenas sonhos;
são eles que estendo sob teus pés.
Pise devagar, você está pisando nos meus sonhos. (William Butler Yeats) (trad. inédita de Bruno D’Abruzzo) AEDH WISHES FOR THE CLOTHS OF HEAVEN Had I the heavens’ embroidered cloths,
Enwrought with golden and silver light,
The blue and the dim and the dark cloths
Of night and light and the half light,
I would spread the cloths under …