sexta-feira, 31 de agosto de 2012

antes de chegar a primavera

a casa parada no tempo 
com suas cadeiras de ferro
e seus cachos de rosas brancas perfumadas 

de dentro, 
o olhar congelado do velho 
observa a passagem do tempo 

cruz das almas, 28 de agosto de 2012 (tarde)

2 comentários:

Carlos Alberto disse...

Lindo poema. Até achei que fosse escrito para mim. Pelo tema. Muita pretensão... Antes de chegar a primavera vem o que? Abs. Carlos Alberto

graça sena disse...

Vc é uma figura, Carlinhos. Imagino que vc se identificou com as referências da casa que o transportaram para uma Cruz das Almas cada vez mais longínqua. Uma Cruz das Almas que só resiste na memória.
Obrigada pelo comentário.