quarta-feira, 23 de novembro de 2011

a hera do tempo

somos a idade da pedra
a hera do tempo
cavalgando os ventos de Iansã
somos a busca e o procurado
o pesadelo de Lilith
dançando na fogueira do amor
a eternidade somos nós
pois o tempo não pesa
para os nossos pés
que não se cansam de caminhar
Graça de Sena
03.08.1989

Este poema, escrito num cartão vermelho de Josilton Tonn, foi criado a 11.000m de altitude para um sacerdote negro que descobriu comigo analogias entre Lilith e Iansã.

Nenhum comentário: